Top N de páscoa: Coelhos nos Games

abril 2, 2010 at 6:17 pm 3 comentários

por Ryunoken

Ah, a Páscoa, o segundo maior feriado religioso do país… Para os que creêm, época de renascimento e renovação, para os que não compartilham dessas crença, ao menos é uma oportunidade de ficar um dia em casa e se empanturrar de chocolate.


Os ovos de chocolate e os coelhos são símbolos dessa época do ano, hoje em dia muito mais por motivos comerciais do que pelos motivos que originalmente os agregaram tais simbologias… As famílias, cristãs ou não, reúnem-se para festivos almoços e trocas dos mimos de chocolate. As crianças ficam em polvorosa, tanto pelo recebimento de presentes sem um motivo muito claro, quanto pela ação do açúcar em organismos hiperativos pela própria natureza.

O Warpzona vem desejar a todos uma feliz páscoa, e como não tem recursos financeiros para mandar chocolates para todos os leitores, tenta suprir essa falta com Top N especial (porque todo mundo adora listas) sobre os COELHOS NOS VÍDEO GAMES!

Então, clique no link abaixo e deleite-se com a visão dessas criaturinhas felpudas, pululantes, serelepes e, pelo menos no mundo do video game, muitas vezes bizarras, grotescas e violentas!

PS – Para efeito de postagens, não diferenciaremos coelhos de lebres, ok?

Rabbids – Começamos nossa coelhagem com esses estranhos coelhos escandalosos e atrapalhados, que  apareceram como coadjuvantes de um spin-off da série  Rayman, mas que, com a sua simpatia neurótica, acabou fazendo com que estrelassem em jogos próprios no DS e no Wii, além de participações especiais em vários jogos da Ubisoft, como Academy of Champions e TMNT Smash Up. Estão sempre gritando e se dando mal, e são protagonistas de campanhas publicitárias muito engraçadas, sendo que várias delas são paródias de outros jogos famosos, como Splinter Cell.


Buck Ohare – Esse desconhecido espécime dos lagomorfos foi estrela de uma história em quadrinhos da década de 70, e também estrelou suas aventuras nos arcades, em um beat’n up nervoso, daquele tempo bom onde os jogos do género eram bem animados e se reproduziam como coelhos nas casas de fliperama. O coelho pertence a um universo meio sci-fi pós-apocaliptico, onde os sapos são malvados e lutam contra a federação dos animais unidos… Bucky tem em sua equipe coisas como um pato de quatro braços(?), uma felina com poderes psiquicos. Ohare também teve uma aventura tipo plataforma no NES. Ele é verde e ter uma aparência mercenária que também é comum aos dois outros quase famosos felpudos seguintes.


Jazz – Jazz JackRabbit vai ser lembrado pelos gamers mais velhos, pois estrelou duas aventuras no PC , em joguinhos de plataforma clássicos e divertidos. Sua última aparição foi em um joguinho pouco inspirado de GBA ,onde apareceu com um visual mais incrementado. Também foi anunciado uma terceira versão em 3D, mas este foi cancelado. Coincidentemente, é verde como Bucky Ohare.


Hoppy, the “Battle Bunny” – O protagonista do game Clayfighters 2 – Judgement Clay é um coelhão marombado que satiriza Arnold Schwarzenegger no filme Terminator 2 – Judgement Day. Fazendo juz a sua aparência, tem ataques tão violentos quanto permitidos a um boneco feito de massinha de modelar.


Braid – Provavelmente inspirado na criatura que aterrorizou os cavaleiros da távola redonda no filme Em Busca do Cálice Sagrado, do Monty Python, essa adorável criaturinha cor-de-rosa com uma delicada flor nascendo em sua cabeça vive enterrada, mas não pode sentir o cheiro de carne humana pra se tornar um terrível monstro devorador. Não se engane!


Pernalonga – Bugs Bunny já estrelou diversos videogames, entre os quais podemos destacar a série de Action-Puzzle Birthday Blowout, o divertidíssimo Bugs Bunny in Rabbit Rampage, no qual ele revive vários momentos de seus desenhos mais famosos ou ainda Loney Toones B-Ball e Space Jam, dois jogos de basquete nada sérios. Mas aparece em mais de uma dezena de jogos, o que lhe garante algumas bombas, como o estranho Acme Arsenal.


Perninha – O herdeiro espiritual do Pernalonga, cujo nome original é Buster Bunny, estrelou, junto a sua companheira Lilica, menos jogos que seu mentor, mas teve mais sorte em matéria de qualidade, pois quase todos os seus jogos são ótimos. No nintendinho temos Tiny Toons, uma plataforma com jogabilidade sólida e difícil, como era comum no NES, e gráficos inspirados. Tiny Toons 2 sofreu alterações, aqui cada fase era protagonizada por um personagem diferente e tinha mecânicas e objetivos totalmente diversos um do outro. Tiny Toons também é lembrado até hoje como uma das melhores plataformas do Mega Drive, mais parecida com a primeira versão do Nintendo, enquanto o Tiny Toons Adventures do SNES era uma plataforma alucinada com gráficos lindos, apresentando todo o universo Tiny Toon. No SNES ainda tivemos um jogo de esportes e um game no estilo Mario Paint, voltado a animação, sem contar um jogo para PS2 cancelado. Feito pela tresloucada Treasure, esse protótipo acabou “vazando”, e se mostrava uma mistura de queimada+aventura alucinada e digna da produtora e dos personagens.


Yo Noid!Noid, a mascote da rede de pizzarias Dominos, estrelou seu jogo no Nintendinho, que na verdade é uma adaptação do título japonês Kamen no Ninja Hanamaru, e é um caso de amor ou ódio para a maioria dos jogadores. Talvez maquiado pelo saudosismo, poucos se lembram que o jogo do tiozinho vestido de coelho tinha uma dificuldade torturante e controles não tão bons, o que geralmente são dois dos três principais ingredientes para uma bela bomba. O terceiro é o pavio.


Silent Hill – Se você viu um dos coelhos de Silent Hill, é capaz de nunca mais querer saber de ovos de páscoa. Ta aqui um leporídeo cuja patinha não vai te trazer nenhuma sorte. A assombrada criatura, na verdade uma espécie de fantasia de coelho com a boca ensangüentada, é  mais um dos reflexos de psiques atormentadas comuns na cidade de Silent Hill. Ou seja, se você viu uma dessas abominações, é quase certo que o responsável seja você mesmo! Escolha outra cidade pra passar o feriado…


Robbit (Jumping Flash) – Entrando no campo das maquina-coelho, eis aqui o estranho robo saltador Robbit. Estrela de dois ótimos e vertiginosos jogos de PSX, o robozinho salva as inúteis criaturinhas Môo-Moos do rabugento e engraçado Barão Aloha, em uma visão de primeira pessoa, como se fosse o próprio saltador! Pode preparar o remédio anti-enjoô, você não jogava nada assim desde Descent (até chegar Mirrors Edge, claro).


Rabio Lepus – Outro engenho-coelho. Dessa vez é uma nave. O rei-coelho teve suas mulheres sequestradas, e cabe a você salva-las com a ajuda do estranho veículo, equipado com lazer e luvas de boxe(?). Shotter divertido do PC Engine.


Mario 64 – Quem diria, Mario também teve seus problemas com lebres e coelhos. Essa criatura amarela aparece no porão do castelo da Peach e leva duas moedas do Mario, o impedido de fazer 100% do jogo. Mas ao corta-lo ao meio com uma moto-serra captura-lo, Mario recupera seus mimos do ladrão felpudo.


Peppy Hare – Apareceu em Star Fox, fazendo parte do time Star Fox original com James McLoud, e depois disso entrou na segunda formação com o filho dele, Fox McLoud. É responsável por um dos mais famosos “memes” da internet, “Do A Barrel Roll“.


Kung Fu Bunny – No time dos animais brigões de Brutal – Paws of Fury, onde cada animal representa um estilo de luta, coube ao coelho representar o Kung Fu. Esse jogo, apesar de pra lá de mediano, teve versões em quase todos os sistemas de sua época.


Max – Da dupla (e serie de jogos) Sam & Max, este é o mais psicótico dos coelhos citados nessa matéria. Qualquer reação pode ser esperada desse carinha, e eu sinceramente passava pro outro lado do país se cruzasse com ele na rua. Usa métodos nada ortodoxo de investigação, é inseparável de seu amigo Sam, o cão-detetive noir. Recentemente reapareceram com força total em uma nova série de adventures.


Cream the Rabbit – A coelha da turminha de coadjuvantes desnecessários de Sonic. Nem ligue pra ela, só sabe criar o Caos… (sacaram? sacaram?). Apareceu em Sonic Adventure 2 inicialmente, e fez aparições em Sonic Battle, Sonic Advance 3 e Sonic Heroes.


Alice – Personagem de Bloody Roar, a menina foi sequestrada quando criança pela multinacional maligna Tylon e transformada numa “zoantrópica” a raça hibrída do jogo. Fugiu da instituição antes de sofrer lavagem cerebral.

Jessica – A gostosa maga de Dragon Quest está aqui só pra te desejar feliz páscoa e finalizar o post com estilo.

Féliz Páscoa!

Féliz Páscoa!

Anúncios

Entry filed under: Galhofas, Mundo Bizarro, Top "N". Tags: , .

Vazaram as músicas de Sonic 4 Episódio 1 Freekscape: jogo brasileiro na PSN!

3 Comentários Add your own

  • 1. Intentor  |  abril 2, 2010 às 9:13 pm

    Para mim, clássicos são os loucos Rabbids, o maldito coelho do Mario 64 (já passei horas de raiva com ele), o grande Peppy do StarFox e o maluco do Max, que a meu ver está no mesmo nível dos amiguinhos do Rayman.

    Anyway, seja renascimento ou coelhos (que botam ovos…), o que me interessa mesmo é o feriado e alguns chocolatinhos: assim posso nutrir-me enquanto aprecio alguns joguinhos no período de folga prolongada!

    Responder
  • 2. Raphael Franck  |  abril 3, 2010 às 1:27 pm

    Nossa …quantos coelhos!

    Responder
  • 3. lonios  |  abril 4, 2010 às 7:30 am

    HAPPY EASTER!

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


warpfeed

WarpStats

  • 561,062 hits

Warptwitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.


%d blogueiros gostam disto: