Posts filed under ‘Matéria’

Adeus, Ryunoken. Adeus, Warpzona.

por maxi

É com muita dificuldade que venho aqui para publicar a notícia mais triste que este humilde blog já teve. Como alguns leitores já sabiam, nosso idealizador André Santos, conhecido por Ryunoken, vinha passando a algum tempo por vários problemas originados por sua frágil saúde, até que finalmente não resistiu e veio a falecer. Ele já havia parado com suas postagens durante algum tempo, mas acabou voltando por se sentir motivado a tocar o Warpzona para frente, que já estava abandonado por nós, os demais moderadores, por diversos motivos também pessoais, como por exemplo minha completa falta de tempo neste suposto último semestre de faculdade (e que, observando outros casos, me faz de certa forma não ver este tempo corrido tão ruim quanto parece).

Semelhante ao seu último post logo abaixo, é nessas horas que eu queria ser Zeus para dar “Raisfonorgreí” naquilo que realmente importava, mas estou muito longe dessa façanha, tanto se tratando do Ryunoken quanto do blog. Após uma rápida reunião dos demais membros, e julgando toda a situação que o Warpzona já se encontrava, decidimos por encerrar oficialmente com nossas atividades neste blog. Porém, o mesmo continuará aqui, não só para consultas de usuários que precisam de opinião ou ajuda sobre algo (meu longínquo primeiro post que o diga), como também pelo mesmo motivo que me fez reconsiderar e desistir de sumir com ele na época do abandono completo, que foi o fato de que a criação de tudo aqui é do André, e não minha.

Logo após o pulo, algumas lembranças do nosso amigo feitas por nós que serão postadas  aos poucos por cada moderador. Por fim,  ainda teremos um último post que o Edson pediu sobre o Velhos Bons Tempos, que será escrito quando ele se sentir apto.

(mais…)

novembro 10, 2011 at 11:16 pm 12 comentários

E lá vamos nós de novo… Videogames x Caso Realengo

por Ryunoken

IMPRENSA MARROM

Preparem-se pra passar aquela raiva: A Rede Record de televisão, apresenta nesse domingo, 24/04/2011, no seu programa Domingo Espetacular (bom nome, já que fazer espetáculo é com ele mesmo) uma daquelas matérias burras tentando convencer e “alertar” que os videogames violentos formam assassinos, incluíndo aí, claro, o recente caso ocorrido em Realengo.

Podemos esperar mais daquelas  matérias sensacionalistas, cheias de factóides e “interpretações”, além das opiniões de gente totalmente alheia e mal informada, receita certa pra convencer a massa de manobra desse terrível mal,  quando sabemos que essa superexposição midiática de fotos, vídeos e cartas (o que é até proíbido!) do louco que cometeu o crime só fazem incentivar novos loucos, pois ele conseguiu exatamente o que queria: A exibição, pra todo o país, de suas idéias torpes e deturpadas.

Claro que a essa altura não dá pra fazer nada: A matéria vai ao ar e uma multidão de pais preocupados (até com alguma razão, pois são mal informados por uma imprensa ruim, vão tirar os videogames de seus filhos, ignorando que telejornais, telenovelas, filmes e livros podem ser tão prejudiciais (ou benefícos!) como qualquer forma de comunicação. Pior que isso, sem perceber que amizades, noções de educação ou cidadania, educação, atenção e diálogo são fatores muito mais relevantes na índole de seus filhos.

Tenho muitos amigos e conhecidos jornalistas, aos quais a maioria excluo do seguinte comentário, mas a cada dia me enojo mais com essa mídia tacanha, tendenciosa, vendida e manipuladora. E, claro, o sentimento não é só pelos videogames, mas também por como se manipula as informações , seja politicamente, socialmente ou comportamentalmente; como se expõe a violência; como se deixa de expor o que vai contra interesses “maiores”; como se faz, enfim, uma imprensa corrupta, maldosa e desacreditada.

Você pode ver uma prévia do que será exibido amanha nesse link, ou assistir a matéria amanha na Record, à partir das 20hs. E pode desde já mostrar a sua indignação deixando uma mensagem nesse link.

E, caso possa, divulgue este texto. Sei que vai adiantar pouco, mas geralmente “a boa luta” se faz de pequenos movimentos.

abril 22, 2011 at 9:29 pm 8 comentários

A consequência dos jogos casuais em seu público-alvo

por Luna Ishtar

Recentemente assisti a um desses vídeos, que agora estão populares no youtube quando se quer xingar alguém ou algo, de uma mulher conhecida como Tullaluana fazendo suas reinvindicações em relação aos games casuais como Colheita Feliz e Segredos do Mar. O que para muitos foi uma piadinha, despertou-me para uma questão bem séria. Para ser bem sincera não achei nem um pouco engraçados os tais vídeos, achei triste.

Quando resolvi investir em uma carreira artística, voltada pra trabalhar com games, fui inspirada por jogos que até hoje divertem as pessoas como Mario, Zelda, Sonic, Final Fantasy.  Muitos dos novos game designers e programadores também foram motivados por jogos como estes e aspiram fazer parte da equipe de um jogo tão memorável quanto um God of War. No entanto surgiu uma nova vertente na indústria dos games, que pelo lado positivo incentiva mais pessoas a não se sentirem intimidadas com jogos virtuais, mas o lado negativo tem repercutido até na vertente hardcore. A simplificação de muitas coisas nos jogos, o excesso de tutoriais e a presença de “Navy’s” (guias), que não só “guiam” o jogador por toda a fase mas na verdade contam tudo que se há pra fazer nela restando ao jogador só seguir as instruções dadas, são uma influência negativa dos jogos casuais.

Saibam porque após o pulo.

(mais…)

novembro 12, 2010 at 12:25 pm 3 comentários

Minha primeira experiência com o PS3 Move

por Philip Mangione

Voltei de viagem semana passada, com um Move novinho na mala. Depois de umas 24 horas me recuperando do fuso horário, finalmente tive forças pra abrir a embalagem e testar o controle. Eu trouxe também um game, Kung Fu Rider (que descobri ser bem ruinzinho). Além do game, o disco trouxe umas 6 demos de outros títulos. Start the Party, Sports, Eye Pet, etc. Antes de comprar o Move, eu comentava com meus amigos que na minha opinião o PS3 atingiu o ápice da evolução dos games, nessa última leva de títulos como Uncharted 2, Demon’s Souls etc. E que a partir do ano que vem, com o foco da Sony sendo o Move e o efeito 3D nas TVs, veríamos o início de uma queda na qualidade “hardcore real” que na minha opinião somente o PS3 ainda alimentava. Bom, coloquei Kung Fu Rider no meu PS3. Instalei as demos, e mergulhei de cabeça. “Vamos ver…”

A Sony está 100% focada no Move (e no 3D)

(mais…)

setembro 28, 2010 at 1:12 pm 16 comentários

TGS 2010: PlayStation 3 Move

por Luna Ishtar

Muitos vem acompanhando o TGS esse ano e dentre tantas novidades e lançamentos as propagandas do novo acessório da Sony, o PlayStation Move, tem chamado muito a atenção.

Idependente da funcionalidade do acessório e sua precisão a Sony está assumindo uma postura bem agressiva para promover seu produto fazendo propagandas engraçadas, mas que ao mesmo tempo atacam diretamente os seus concorrentes, o Wii e o Kinect.

A Sony também fez um site falando da importância dos botões para o video game também como propaganda do Move, e particularmente achei que ficou bem interessante.

Propaganda vazada do Move matando um Mii.

Kevin Butler caçoando o Kinect

E vocês, qual é a sua opinião sobre a abordagem da Sony? Será que o Move vai ser uma grande adição pro PlayStation 3 que tem um publico mais hardcore gamer?

setembro 17, 2010 at 5:11 pm 1 comentário

MMO FTW, multiplayer de verdade

por Philip Mangione

Quem nunca entrou em campo numa partida oficial de futebol acha que é só correr atrás da bola e chutar pro gol. Quem nunca leu um bom livro de ficção acha que é perda de tempo, um monte de bla bla bla sem fundamento. Quando um jogo dura “só” 6 horas, os moleques mimados reclamam que os desenvolvedores foram “preguiçosos”. Afinal fazer um jogo é só modelar os personagens e cenários e fazê-los se mexerem né.

Quem nunca jogou de verdade um bom MMO também tem uma visão simplista, acha que é só “matar 2000 goblins” depois “matar 30 dragões”, “coletar 500 itens”, subir de level, depois continuar o ciclo “matar mais 1000 goblins do tipo 2”, “matar 30 dragões dourados”… ele acredita que um jogador de MMO é recluso, solitário, extremo no nerd, problemático. Acha que deve ficar longe do MMO como se fosse uma praga.

O pior é que esse povo geralmente acha muito legal e super interativo ter “uma pá de amigo na Live” quando joga um mata-mata casual de meia hora no Halo, ou uma partida de “Wing Lever” contra um conhecido distante qualquer que nunca conversa com ele, só durante essas partidinhas mínimas, afinal os dois entendem DEMAIS de futebol, muito mais que os idiotas que estãojogando profissionalmente por aí. Esses jogadores acreditam ser “parte de uma comunidade incrível de amigos”. Só porque caíram no conto da Live e pagam dinheiro por isso.

Se alguém paga uma grana pra fazer parte do Xbox Live Social Club tudo bem, vale a pena, segundo eles. Se paga pra fazer parte de um mundo extremamente elaborado e vivo, um MMO, aí é “trouxa”. Ha.

Não vou me aprofundar muito, mas só dar uma esclarecida praqueles que nunca tiveram uma real experiência com um MMO.

Diferentes jogadores se complementam

Jogando de verdade, os diferentes jogadores se complementam

Você loga no jogo. Um personagem fictício que se materializa em um mundo X. Tem uma lista com missões “matar 400 orcs da floresta”, “coletar 100 cabeças de lobos raivosos” etc. “HÁ! Falei!” — sim, falou. Agora continue lendo.

(mais…)

julho 30, 2010 at 2:15 pm 3 comentários

Demo de Chameleon Puzzle Runners agora disponível!

Baixe agora a demo de Chameleon Puzzle Runners, um dos vencedores do BRGames2009, e nos diga o que acha!

Continue Reading abril 9, 2010 at 1:17 pm 11 comentários

Posts antigos


warpfeed

WarpStats

  • 570.236 hits

Warptwitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.